terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Devo ser a torta de blueberry

A moça de olhar distante entrou na confeitaria, buscava refúgio seguro, um lugar onde pudesse colocar os pensamentos em ordem e remontar o quebra-cabeça de um coração em pedaços. O confeiteiro ao notar o semblante tristonho da jovem lhe ofereceu uma fatia da torta que lhe parecesse mais apetitosa na loja inteira.

Num sorriso desajeitado a moça agradeceu e correu os olhos marejados de lágrimas ao seu redor, sem deixar de admirar a delicadeza com que cada uma das iguarias havia sido confeccionada. Como se pudesse ver o que passava no interior da jovem, o sábio confeiteiro fez uma sugestão. Que tal a torta de blueberry?


Enquanto a jovem saboreava aquela pequena obra de arte o confeiteiro lhe disse. Minha cara, fui agraciado com o dom de fazer doces e os faço todos com o mesmo amor e dedicação. Repare novamente na vitrine, todas as manhãs coloco à disposição dos clientes tortas de diferentes sabores e todos os dias ao final do expediente um fato curioso se repete. Nunca sobra se quer uma fatia da torta de chocolate. Dá de morango resta sempre alguns poucos pedaços. Já a de blueberry permanesse quase intacta, embora tenha a mesma qualidade das demais.


- A torta de blueberry tem mesmo um sabor muito bom, mas se lhe dá prejuízo nas vendas porquê o senhor continua a fazê-la?!

- Porque a torta de blueberry tem um sabor inigualável e há sempre quem vem a confeitaria buscando especialmente por ela.


Certa vez uma grande amiga me contou uma história similar, cena de um filme. Ainda não tive a chance de assisti-lo, mas ousei imaginar o encontro da jovem com o suposto confeiteiro. Nesse momento quero acreditar que sou como aquela torta de blueberry! Um dia alguém vai chegar a procura de um sabor especial, vai se lambuzar, lamber os dedos, dizer que a torta de blueberry é a sua favorita e que não pode mais ficar sem a tal iguaria.



Ps:Texto inspirado no filme My Blueberry Nights, conhecido em português como Um beijo roubado.

3 comentários:

WRicardo disse...

Eu já vi o filme. Seu texto tá tão bom quanto o roteiro.

Ludy Pimenta disse...

assista o filme! Realmente é muito bom!

http://www.youtube.com/watch?v=86kckraMXtI

Ciro Ribeiro disse...

E no final das contas, essa é a graça da vida, né? Beijos!